Quando se fala de liderança, o que vem à sua mente? 

É fácil selecionarmos os tipos de respostas para essa pergunta, pois o termo “liderança” é muito difundido negativamente no ambiente de trabalho ou para gerar uma conotação de comparação entre atitudes positivas e atitudes negativas de profissionais que estão em cargo de comando, como aquele: “ser chefe não é sinônimo de ser líder”!

Atualmente, 8 em cada 9 profissionais pedem demissão por causa do chefe. É o que mostra uma pesquisa realizada pela consultoria de recrutamento Michael Page, com candidatos a vagas de emprego.

Esse dado nos indica que  quanto maior for a nossa preocupação em atingir somente o resultado, sem pensarmos em “como” estamos fazendo isso, mais difícil será alcançar o objetivo, pela ausência de motivação e valorização de desempenho e  capacitação de cada profissional. 

Ainda segundo a pesquisa, as decisões gerenciais equivocadas ou mal planejadas inevitavelmente levam a um desgaste no relacionamento entre funcionários e chefes.

Por isso que, quando falamos de liderança, é preciso considerar as principais falhas, e que também existem várias faces dessa mesma atuação. Sei que muitas pessoas já tiveram todos os tipos de experiências com profissionais que estão em cargos de liderança. 

Sei também que é através dessas histórias que nós percebemos o quão é importante falar sobre os erros e acertos, desenvolvimento e capacitação de profissionais para o cargo, além dos tipos de liderança que encontramos no mercado e as alternativas que estão funcionando para as principais empresas. 

Não é atoa que durante este período de crise que estamos vivendo no mundo, a liderança tem papel fundamental nas organizações. O perfil de líder vai além de demandar tarefas. Ele precisa estar preocupado com as metas, mas também motivar e prezar pela qualidade de vida dos colaboradores no ambiente de trabalho. Isso é o que a maioria das empresas tem buscado. 

Que tipo de líder é você em tempos de crise?

O novo normal que tem se estabelecido em nossa rotina, tem sido difícil de ser adaptado, e nós precisamos nos manter atentos. Porém, por mais desafiador que pareça, o esforço da área de recursos humanos e de especialistas em desenvolvimento de pessoas, têm marcado essa nova realidade com otimismo e como “oportunidade”. 

Geralmente, é passando por uma situação de crise que o aprendizado é mais perceptível. Quando enfrentamos obstáculos, somos obrigados a parar, olhar ao nosso redor, planejar, estudar possíveis riscos e desenvolver estratégias para conseguirmos avançar. 

Como você tem enfrentado a atual situação na sua empresa? A sua atuação como líder tem gerado bons frutos? 

Nós selecionamos algumas dicas que podem te ajudar a encontrar a melhor estratégia para passar por esse momento e alcançar os seus objetivos, tendo em vista o seu relacionamento com a equipe e o seu desempenho como líder.

 

1 – Reconheça as mudanças e esteja preparado

Existem diferentes tipos de liderança: 

  • Liderança liberal – o líder permite total liberdade para a tomada de decisões individuais;
  • Liderança autocrática – o líder prioriza e detém do controle de cada profissional;
  • Liderança situacional – o líder que adapta o cenário diante de certas situações, ou seja, está baseado na relação entre o líder, a maturidade do liderado e a situação encontrada;
  • Liderança democrática –  o líder possui a tomada de decisão participativa, ou seja, ele permite que os colaboradores se envolvam nas pautas da organização.

Você sabe em qual se encaixa?

É muito importante reconhecer a si mesmo e identificar o que pode melhorar. Assim, a sua resistência às mudanças não será mais um empecilho no seu desempenho com sua equipe.  Seja flexível, adaptável e esteja disposto a fazer escolhas difíceis.

 

2 – Transmita confiança

O colaborador pode estar se sentindo acuado ou ameaçado diante do cenário de incertezas. Por isso, para que ele se sinta motivado a exercer a sua função com excelência, é importante que ele possua um ponto de influência ou inspiração: você, líder, que está de fato à frente da equipe e que é o responsável por fazer com que o processo continue a todo vapor. 

Você pode desenvolver diferentes estratégias para construir um relacionamento de confiança com a sua equipe. Uma cultura interna, com reuniões de equipe ou pequenas pausas e conversas motivacionais, mesmo remotamente, são ótimas alternativas. 

Ser transparente nos feedbacks, e apresentar, com clareza, a atual situação da empresa aos profissionais são bons indicadores que comprovam o ideal desempenho de um líder. 

O comprometimento da sua equipe com as tarefas diárias é maior, pois ao promover, ensinar e apontar soluções, os profissionais começam a desenvolvem confiança em seu trabalho.

 

3 – Incentive a equipe para ações positivas

Focar no bem estar físico e emocional dos colaboradores e focar na interação da equipe não é desperdício de esforço. Muito pelo contrário! Gerar resultados está além de somente fazer o que deve ser feito. Bons resultados podem ser alcançados através da tomada de decisão assertiva e pautada em ações que os próprios colaboradores podem sugerir. 

Incentivá-los a ir além, seja oferecendo cursos e treinamentos, seja abrindo espaço para possíveis dicas, soluções ou dificuldades que possam estar enfrentando com o isolamento social, é uma maneira de dizer: acredito e estou investimento em você. O incentivo também pode ser feito por meio de elogios ou até mesmo pequenas comissões mensais. 

A verdade é que o dia a dia é um baita de um exercício na prática. Será preciso muita coragem, determinação, perseverança, velocidade e paixão para engajar as equipes nas mudanças necessárias. 

Não deixe que os maiores problemas no ambiente de trabalho se tornem rotina para você e sua equipe, mesmo que a cultura da empresa, como um todo, tenha os seus pontos negativos. A liderança tóxica, a falta de empatia entre os profissionais, a cobrança insana, a comunicação falha e a competitividade têm problemas de saúde como consequência.  

Segundo o Business Insider, site norte-americano de carreira, a liderança tóxica é um dos fatores que podem tornar o local de trabalho ruim e causar danos a saúde emocional e mental dos trabalhadores. 

Se você deseja conhecer as alternativas que podem melhorar o seu desempenho como líder, a Pulse RH pode te ajudar. Oferecemos treinamentos e soluções que farão a diferença na sua rotina. Estamos à disposição!

O grande líder é aquele que, mesmo durante uma crise econômica, sabe o que é essencial: manter sua equipe motivada.

 

Por:  Annete Soihet
Founder da Consultoria Estratégica de Gestão de Pessoas PULSE RH na Pulse RH

Fonte: https://www.linkedin.com/pulse/lideran%C3%A7a-em-meio-crise-desafios-e-dicas-annete-soihet/

Compartilhe em suas Redes Sociais