Remédios contra COVID devem chegar primeiro a quem precisa, afirma Bill Gates

Por Nathan Vieira | 16 de julho de 2020 às 13h20

Com a pandemia, em meio a inúmeros projetos de vacina bem encaminhados, uma preocupação que se estabelece é que os países ricos levem todas as drogas promissoras contra o coronavírus e deixem os países em desenvolvimento sem nada. Com isso em mente, no último sábado (11), o fundador da Microsoft, Bill Gates, deu uma palestra numa conferência virtual sobre COVID-19 promovida pela International AIDS Society — e na ocasião, declarou que os medicamentos para combater a doença e uma eventual vacina devem ser disponibilizadas aos países e povos que mais precisam, e não a quem pagar mais.

“Se deixarmos vacinas e medicamentos irem para quem pode pagar mais em vez de irem para as pessoas e lugares onde são mais necessários, teremos uma pandemia mais longa, injusta e letal. Precisamos de líderes para tomarem decisões difíceis sobre distribuição baseada em igualdade, não apenas em fatores definidos pelo mercado”, afirmou o bilionário.

Ele ainda disse que os esforços começaram há dez anos, no combate à crise de HIV: “Uma das grandes lições na luta contra o HIV e a Aids é a importância de construir esse sistema global de distribuição para que as drogas cheguem a todos”.

Em junho, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS, na sigla em inglês) anunciou que os Estados Unidos compraram quase todo o estoque mundial de remdesivir, remédio apontado por pesquisas recentes como eficaz no tratamento do novo coronavírus. Enquanto isso, a Comissão Europeia e a Organização Mundial da Saúde (OMS) avisaram que pode haver uma competição não saudável na busca por um medicamento.

O cofundador da Microsoft, por meio da Bill & Melinda Gates Foundation, já destinou quase US$ 250 milhões (R$ 1,2 bilhão) para o combate contra o novo coronavírus e prometeu que o funcionamento da fundação seja quase que totalmente direcionado a isso. Em paralelo, Gates tem recebido a maior atenção de conspiracionistas que elaboram teorias sobre a origem e o desenvolvimento da COVID-19.

Fonte: Gizmodo

Compartilhe em suas Redes Sociais