Estudo clínico com o anticorpo monoclonal leronlimabe é autorizado pela Anvisa

https://www.gov.br/anvisa/pt-br

A pesquisa avalia o uso do medicamento no tratamento de pacientes com pneumonia causada pela Covid-19.

Publicado em 03/08/2021 12h55 Atualizado em 03/08/2021 13h06

A Anvisa autorizou, nesta segunda-feira (2/8), a realização do estudo clínico para avaliar a segurança e a eficácia do medicamento leronlimabe para o tratamento de pacientes moderadamente enfermos com pneumonia causada pela Covid-19.

O leronlimabe é um anticorpo monoclonal que atua como um inibidor competitivo, bloqueando a infecção das células. 

Trata-se de um estudo de fase 3, randomizado, duplo-cego, controlado por placebo, para avaliar a eficácia e a segurança do leronlimabe em combinação com o tratamento padrão para pacientes hospitalizados com pneumonia por Covid-19 que não necessitam de ventilação mecânica ou oxigenação por membrana extracorpórea

O estudo é patrocinado pela empresa CytoDyn Inc., sediada nos Estados Unidos e representada pela Biomm S.A. no Brasil. A pesquisa será conduzida pela Sociedade Beneficente Israelita Hospital Albert Einstein, em São Paulo. 

Outro protocolo de estudo clínico do Leronlimabe, referente a pacientes que, neste caso, necessitam de ventilação mecânica ou oxigenação por membrana extracorpórea, ainda está em análise do cumprimento de exigência. 

Quer saber as notícias da Anvisa em primeira mão? Siga-nos no Twitter @anvisa_oficial, Facebook@AnvisaOficial, Instagram @anvisaoficial e YouTube @anvisaoficial

 

O que temos até o momento:

  • Corticoides para pacientes que necessitem oxigênio suplementar, são os únicos que apresentam o maior consenso até o momento. Dexametasona na dose de 6 mg ao dia por 10 dias.
  • Antivirais foram testados, embora, em novembro de 2020 a Organização Mundial de Saúde (OMS) em decorrência de resultados conflitantes entre os estudos clínicos, não recomenda antivirais. Já a Food and Drug Administration (FDA) aprovou em março 2021 o uso de remdesivir para o tratamento de pacientes hospitalizados com Covid-19 baseada nos resultados do Adaptive Covid-19 Treatment Trial(ACTT-1) A Anvisa liberou o uso do medicamento para tratamento no Brasil.
  • Anticorpos (IgG) monoclonais que atuam na proteína S do vírus responsável pela ligação com os receptores ECA2 das células humanas. Em diferentes alvos e quando combinados enfrentam melhor as mutações na proteína S. Indicado para casos confirmados laboratorialmente como leves e moderados para pacientes a partir dos 12 anos com no mínimo 40Kg com riscos associados como obesidade, cardiopatias, asma, diabetes, nefropatias, imunossupressão.

A Anvisa já aprovou três indicações para tratamento da infecção:

  • Remdesivir, também aprovado pela FDA, mas não recomendado oficialmente pela Organização Mundial da Saúde; e
  • Combinações dos anticorpos monoclonais casirivimabe + imdevimabe (REGN-COV2) e banlanivimabe + etesevimabe, de forma emergencial.

 

Compartilhe em suas Redes Sociais