Com a pandemia risco de morte prematura por solidão extrema, em pessoas com mais de 60 anos que não tiveram COVID aumentou 14%

Por: Martha Oliveira

A pandemia do coronavírus impactou a sociedade e todos os indivíduos em diversas esferas. No caso dos idosos no Brasil, cerca de 37,7 milhões com 60 ou mais, o isolamento social segundo pesquisadores da Universidade de Chicago, trouxe um sério problema: o aumento de 14% de risco de morte. Segundo o estudo, ao mesmo tempo que o isolamento social protege o idoso, o mesmo pode estar contribuindo para reduzir sua resposta imunológica ao colocá-lo sob uma condição estressante.

Este cenário de cuidar do idoso que está isolado, com assistência à saúde, de forma holística no Brasil e com chances de aumentar a sua longevidade é uma realidade, através da chegada do modelo holandês conhecido como buurtzorg de saúde, cujo objetivo principal é: o idoso no centro do cuidado, do acolhimento e o principal: atendimento domiciliar, dentro de sua comunidade, e baseado principalmente numa equipe de saúde, onde enfermeiras realizam aorganização e coordenação de todo o cuidado necessário.

O modelo reconhecido em mais de 25 países (ainda inédito na américa do sul) chegou aoBrasil, através da Laços Saúde em outubro do ano passado. Com um aumento expressivo no número de clientes nos últimos meses (5000 clientes contratados em 10 meses), no caso dos pacientes em estado de solidão ou depressão a melhora foi expressiva, usando além dos métodos tradicionais de apoio também métodos digitais.

“Cuidamos de cada paciente de forma individualizada, porque cada ser humano é único. No caso dos pacientes em depressão, que também estão isolados e sem acompanhamento assistencial, temos uma melhora significativa porque entendemos que muito mais que remédios, nós damos aos pacientes, os nossos ouvidos, o afeto da equipe, o cuidado integral e humanizado e um olhar para todas as suas necessidades”, ressalta empresária, médica e doutora em envelhecimento humano, Martha Oliveira, da Laços Saúde.

A assistência aos idosos em depressão ou solidão é através de um plano de apoio noambiente onde vive o idoso contemplando o cuidado em cognição, memória e solidão. “Este cuidado ocorre por meio de um ambiente de confiança, com o apoio da utilização de instrumentos e treinamentos específicos. É incrível como a resposta é positiva. Tiramos os idosos de um estado e entregamos saúde e longevidade a estes pacientes”, entusiasma Martha.

Por conta do isolamento, muitos idosos também deixaram sua rotina médica em segundo plano. Muitos abandonaram tratamentos. A Laços Saúde compreendeu também esta lacuna e tem à disposição planos de cuidado de acordo com as necessidades do paciente. “Para atendermos esta demanda criamos linhas de cuidado onde todos os pacientes, mesmo osmais saudáveis, contam com atendimento de emergência e podem contatar as enfermeiras e outros profissionais 24 horas por dia, sete dias por semana. A Laços Saúde nasceu para ser um novo conceito de cuidado para o idoso: ele não estará mais sozinho”, afirma Oliveira.

Sobre o método holandês Buurtzorg: é uma organização holandesa pioneira em saúde,estabelecida há 13 anos, com um modelo de assistência holística liderado por enfermeirosque revolucionou o atendimento comunitário na Europa. “Acredito no cuidado centrado no cliente, com enfermagem independente e colaborativa” disse Jos de Blok, Diretor e CEO da Buurtzorg Nederland.

Parceira da Inlags Academy, a Laços Saúde é uma empresa de saúde brasileira idealizada por 4 sócios que acreditam na transformação da saúde do Brasil por meio de ideias inovadoras e personalização de serviços.

A atenção à saúde do idoso vai além de necessidades fisiológicas, por isso a Laços Saúde acredita no potencial que as enfermeiras têm de agregar valor ao cliente através do seu objeto de trabalho que é o cuidado. Mediante o trabalho preditivo, colaborativo e preventivo podemos mudar o paradigma da
atenção à saúde brasileira.

 

Compartilhe em suas Redes Sociais